RSS

SDL Trados Studio 2011

11 Maio

Para ser sincera, de todas as ferramentas que demos, esta foi a que mais gostei de aprender.

Esta ferramenta permite-nos fazer traduções auxiliando-nos da memória de tradução (base de dados) existente neste programa. Esta B.D. permite-nos que, quando o programa encontrar um termo no texto de partida que já tenhamos inserido na memória (o termo com a respetiva tradução), ele vai automaticamente nos sugeri-lo.

Esta ferramenta permite-nos fazer traduções auxiliando-nos da memória de tradução. O trados possui várias funcionalidades como a introdução de comentários, verificação de erros, possibilidade de revisão, etc.
Para poder enviar o ficheiro para outro tradutor, temos de previamente fazer package, isto é, converte-lo para poder envia-lo por mail ou através de uma pen. Apesar da solução por mail ser possível apenas se estiverem todos em rede.

Quando o tradutor estiver a fazer o package vai ter várias opções, umas das quais vai poder optar por enviar ou não as bases de dados, os comentários, etc. Assim o revisor que a receber vai ter ou não acesso a estes dados.
Para uma boa utilização deste programa, temos de associar o multiterm ao trados, pois este faz parte da memória de tradução do trados. Estes dois programas vão complementar-se.

Durante as aulas de TAT tivemos de realizar um projeto no Trados que tinha de conter os seguintes pontos:

– No mínimo 2 documentos inseridos;
– Uma tradução de 1000-1500 palavras;
– Uma memória de tradução completa;
– Uma Base de Dados terminológica com um mínimo de 50 termos.

Além dessa avaliação, tivemos também de realizar uma prova oral sobre o programa, onde a docente nos fazia preguntas sobre este e onde tínhamos de responder oralmente e exemplificando no programa. Assim, as principais funcionalidades que tínhamos de saber eram:

– Inserção de vários ficheiros (e batch tasks)
– Segment status
– Termbase viewer
– Translations results
– Concordance search
– Comments
– Messages
– Term recognition
– Termbase search
– Add term
– Insert term
– Project tags
– Project settings
– Verify
– Create Project Package

No início parece complicado, mas com o tempo isso vai lá. É só uma questão de praticar🙂

Para mais informação sobre este programa, aceda ao site official aqui.

 
1 Comentário

Publicado por em Maio 11, 2012 em Ferramentas de tradução

 

One response to “SDL Trados Studio 2011

  1. Vanessa

    Junho 10, 2013 at 1:25 pm

    Eu sugiro que você também tentar usar essa ferramenta: https://poeditor.com/. Para minha mente é mais simples de trabalhar e mais agradável.

     

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: